Pedreiro é autônomo ou profissional liberal?

Article by · 27/08/2019

Você sabia que existe uma diferença entre profissionais liberais e autônomos? A primeira categoria é formada por aqueles que trabalham por conta própria e que são especializados – ou seja, têm formação universitária, técnica ou certificado(s) em curso(s) de determinada área. Já a segunda se trata de profissionais independentes sem formação técnica, que não estão ligados a empresas e dispõem de total liberdade financeira.

A partir dessa definição conseguimos identificar quando o profissional tem – ou não – formação em determinada área. Existem, por exemplo, pedreiros liberais (com formação técnica) e autônomos (que aprenderam o ofício na prática). No entanto, apesar essa divisão de grupos existir, vale destacar que isso não influencia na qualidade do serviço – tendo em mente que muitos profissionais autônomos apresentam um serviço de grande qualidade. Afinal, é na prática que todo mundo se aperfeiçoa, né?

Para entender melhor sobre a profissão dos pedreiros nós conversamos com Clebson Eduardo Pereira, que atua como profissional autônomo. Ele aprendeu o ofício com conhecidos e foi se aperfeiçoando com o passar dos anos. Quer conhecer os desafios da profissão? Ele falou sobre as diferenças entre trabalhar como autônomo e com carteira assinada. Confira!

Trabalhar como autônomo requer mais organização, mas permite maior liberdade no serviço

Quem gosta de ter mais liberdade para organizar os horários e tarefas do serviço, trabalhar como autônomo talvez seja a melhor opção. Dessa forma, você não fica preso a nenhuma empresa e pode se organizar como bem entender.

Mas nem sempre esse tipo de trabalho é vantajoso, sabia? Clebson, por exemplo, trabalha atualmente como autônomo, mas não recomenda esse tipo de serviço. “O grande problema do trabalho autônomo é que ele acaba sendo muito incerto. Às vezes tem trabalho disponível, mas às vezes não. Eu prefiro algo mais certo, com carteira assinada”, comenta.

De acordo com Clebson, trabalhar em uma empresa acaba sendo mais vantajoso em diversos sentidos

Quando se trata de ter estabilidade financeira, muitas pessoas preferem recorrer à carteira assinada. Afinal, dessa forma você dispõe de uma série de direitos trabalhistas e não precisa se planejar ou organizar demais no dia a dia de trabalho.

“O lado bom de estar empregado com carteira assinada é que assim tem horário para tudo: café, almoço, hora de entrada, saída e tudo mais. A única preocupação é de cumprir o serviço todos os dias. Fora os direitos que você tem, né? Como fundo de garantia e auxílio desemprego”, finaliza o profissional.

É importante destacar que as duas formas de serviço – autônoma ou com carteira de trabalho assinada – têm seus prós e contras. Ou seja, cada profissional pode escolher o tipo de trabalho que preferir. E aí, você concorda com o Clebson ou prefere trabalhar como autônomo?