Como é ser cabeleireiro autônomo?

Article by ·

Seja pelo benefício de poder conciliar melhor a carreira e o lazer ou pelas novas oportunidades de garantir uma renda, optar pela autonomia profissional (onde você não tem vínculo empregatício com uma empresa), já é um caminho escolhido por muitos profissionais, inclusive os da indústria da beleza.

Se você está pensando em atuar como cabeleireiro autônomo ou abrir a sua própria sala para atendimento, mas ainda tem dúvidas quanto ao que fazer, fica tranquilo, porque nós conversamos com a cabeleireira Vanessa Labre, que falou sobre os seus desafios no dia a dia.

Aplicativos ajudam a organizar a rotina dos cabeleireiros autônomos

Engana-se quem acha que os aplicativos são só para entretenimento, viu? Eles podem ser uma verdadeira mão na roda no dia a dia profissional. A Vanessa conta que o Instagram é um dos seus favoritos. “Eu o uso como forma de divulgação do meu trabalho e também para acompanhar o trabalho de outros profissionais e ter inspirações”, revela.

Você também pode procurar por apps que sirvam como agendas para organizar horário dos clientes – existem até opções que possibilitam que eles façam os agendamentos online, como o Beauty Date, feito especialmente para profissionais de beleza. Também há aqueles que permitem você tirar uma foto e mudar a cor do cabelo na imagem, como é o caso do Hair Color Studio. Assim fica mais fácil de ajudar o cliente a escolher o tom perfeito.

Nossa dica é buscar também apps de edição de foto para dar um toque especial nas fotos dos clientes para divulgação. VSCO, AirBrush, Adobe Photoshop Lightroom, Afterlight, Snapseed e Facetune são alguns dos mais bem avaliados nesse quesito, então pode baixar qualquer um deles que o sucesso é garantido.

Os desafios para se tornar um cabeleireiro autônomo

Se você está pensando em se tornar um cabeleireiro autônomo, saiba que não é um caminho fácil. Requer tempo, disposição, disciplina e, principalmente, ser uma pessoa bem organizada financeiramente. “Mantenha o seu planejamento financeiro e procure por alguém que possa te auxiliar nessa área”, aconselha Vanessa. Assim, as chances de erro são menores. Um outro grande desafio para a profissional foi achar pessoas parceiras suficientes para formar uma equipe e embarcar nessa empreitada com ela. Afinal, quando o negócio cresce, não dá para caminhar sozinho, né?

Com o caminho das pedras traçado, aqui vão as dicas para ser um bom cabeleireiro autônomo: “É essencial estar antenado em todas as novidades que o mercado da beleza pode oferecer. Nunca deixe de sonhar e faça o possível para fidelizar seus clientes. Eles são o que temos de maior valor”, finaliza Vanessa Labre.